18 junho 2010

Meio termo, onde estás?


Eu sou de extremos. Comigo, ou é ou não é. Só aceito sim ou não e nim é palavra que não consta no meu dicionário. Se como, como, se não tenho apetite, nem me lembro que eu preciso de comer para sobreviver. Quando choro, é choradeira total. Se estou mal disposta, estou mesmo mal disposta! Se estou bem, estou mesmo em altas. Por mais que, às vezes, seria bom conseguir viver com a balança equilibrada e eu até queira que isso aconteça, não consigo! Já tentei e não consigo. Não estou habituada nem nunca conheci outra realidade, que não esta. A minha normalidade é assim. O meu estado normal é este. E gosto de ser assim. É o meu fundo. É o meu eu. Apercebo-me destas coisas hoje, quando olho para mim no correr dos dias e noto que, há dias em que acordo às 6h30 da manhã e salto da cama, como no dia de ontem. Depois, tenho de me entreter com alguma coisa, até chegar a hora de ir trabalhar. Foi assim ontem. Ontem levantei-me com o nascer do sol, consegui arrumar o quarto ao pormenor, arranjar-me com calma e... ainda consegui ir à vizinha trocar a cor do verniz das minhas unhas. Hoje, saltei da cama quando o telemóvel tocou e noto que no visor estava o número do meu trabalho. Passava uma hora... da minha hora de entrada.

2 comentários:

Osga disse...

Para me levantar é sempre o caos!

Até nem me importava de ter dias assim :D

Ninhas disse...

Aiiiiiiiiiiiii se não fosse eu......... Sabe Deus!!!!!