31 dezembro 2012

Tpc para 2013

Aprender a perceber e a identificar sinais.

Copiei e copiei muito bem

As pessoas que nos mentem, mentem-nos não para nos proteger, mas para se protegerem a elas próprias.

Foi a bad girl que disse e disse muito bem.

Carrie, és uma seca!

Eu adoro ter televisão no quarto! E sim, estou a ver o Sexo e a Cidade, na RTP1.

28 dezembro 2012

2012?

Ora bem, deixa cá ver... E que tal o segundo pior ano da minha vida?!
Não há muito mais a dizer. Por enquanto.

25 dezembro 2012

Loucuras de Natal

1 - Comer quilos de bolo negro da terra do meu pai
2 - Continuar a correr como se não houvesse amanhã (ignorando o frio da terra e o vento louco que tem estado)
3 - O Pai Natal noivou uma grande amiga. (a boa notícia que era precisa para alegrar um bocadinho estes dias)

23 dezembro 2012

Coisas da vida

Onze anos depois de teres saído de casa dos teus pais, dás por ti na terra a chegar a casa de madrugada e a ir ao quarto dos pais dizer a frase da noite: "já cheguei!"
A única diferença é que quando a tua mãe, estremunhada, te pergunta "que horas são?", se outrora tu respondias as horas a que te tinham dito para estares em casa, agora, sai-te um "não sei; não faço ideia". E a tua mãe, estremunhada, diz-te "está pbem!"
Depois, sobes as escadas de acesso ao andar do teu quarto e pensas: "Qual a necessidade de acordar a mãe para avisar que já chegaste?!; Deixa-a dormir. Um pensamento precedido de "há coisas que não mudam... E ainda bem!"

22 dezembro 2012

O sabor do Natal

Amargo.

Só eu sei porque nunca gostei desta época. E este ano não será excepção.

19 dezembro 2012

É sempre assim

Os últimos dias do ano reservam-me sempre uma surpresa desagradável. Aceitam-se sugestões para quebrar este enguiço.

14 dezembro 2012

Como começar bem o fim-de-semana #2

Hoje foi o secador que fez pufff. E agora é ver-me a secar esta farta cabeleira com uma coisita que deita um ventito que causa menos impacto do que um sopro

Falsa aparência

Esta semana, de forma natural e no decorrer de uma conversa, disseram-me que parece que eu uso uma capa. Isto, porque quando me perguntam "como estás?", a minha resposta é sempre positiva. Não há o típico "vai-se andando" português, nem a usada expressão "melhores dias virão", que por acaso eu até uso regularmente. Para a pessoa que me disse isto, eu estou sempre bem-disposta, com um sorriso na cara e minimizo os acontecimentos menos bons dos últimos tempos com ideias e interjeições, que fazem acreditar que estou a contornar a situação e talvez a encobri-la. Para a pessoa que me disse isto, alguém que está numa situação de desemprego, sem futuro profissional definido, com uma perna em Portugal e outra fora do país, com o namorado do outro lado do mundo durante quatro meses e com a família a trezentos quilómetros, esse alguém não pode manter uma postura igual aquela que eu aparento.
Ora bem, e com isto me questiono: há algum código comum ou alguma conduta que alguém na minha situação deva seguir? É errada a minha postura? Não acredito que seja. E eu sinto-me bem como estou. A minha tenra idade e as coisas que me têm acontecido, têm-me tornado uma pessoa mais fria, é verdade, mas também me têm ensinado a relativizar e a ver sempre o outro lado das coisas. Estou desempregada, mas estou feliz. Foi despedida, pois fui. E agora, vou ali atirar-me da ponte por causa disso? Fazer-me de coitadinha? Deixar de gostar de mim? Perder a vontade de beber copos com as minhas amigas? Deixar de me cuidar? Não pintar os lábios com um batom vermelho? 
O meu namorado está longe, pois está. Mas agora vou andar aí aos caídos e a chorar porque ele se foi embora? Foi escolha dele, é certo. Mas que culpa tenho eu que o trabalho dele, a profissão dele e ele próprio seja reconhecido do outro lado do mundo e não no país dele? Para mim, o simples facto de saber que para ele tudo está a correr bem, faz-me feliz. Feliz por ele, ainda que isso, de certa forma possa comprometer o nosso relacionamento.
Claro que gostava que as coisas fossem de outra forma. Teria outro sabor o serão desta sexta-feira chuvosa ser passado no chão sala, com um jantar especial, um bom vinho tinto e velas acesas por todo o lado; claro que seria ainda mais feliz se pudesse, a esta hora, estar a trabalhar na minha profissão, com toda a pressão a ela associada. Mas vou dar cabeçadas na parede por isso não estar a acontecer? Não! Claro que não. Pelo contrário. Ainda conheço as minhas capacidades, ainda sei aquilo que sei fazer e, acima de tudo, sei muito bem que sei fazer o meu trabalho bem feito. Acusem-me de falta de modéstia, não quero saber.
Não escondo que há dias menos bons. Claro que há. Há dias em que acordo chateada com o mundo e comigo mesma por estar a viver uma fase assim. Há dias em que choro por não ter trabalho e até sinto um piquinho de vergonha por estar numa situação assim. Porém, até ao dia de hoje nunca me agarrei a estes sentimentos. Infelizmente, é sempre mais fácil apontar o dedo a quem mantém uma postura assim; é tão mais fácil recorrer à expressão "é tudo fingimento", em vez de se perder cinco minutos a fazer o exercício de ver as coisas de outra forma.

Conversas com são peter #1

Amigo, isto de mandares aí de cima chuva e ventos fortes não dá com nada. Principalmente em dias como o de hoje, em que eu acordei cheia de ganas de correr por esses passeios fora. Resolve lá o assunto, se faz favor. Manda a chuva e o vento pela noite dentro e amaina a situação durante o dia, tá? É que eu não tenho perfil para me enfiar dentro de um ginásio. E sim, eu sei o que é essa coisa chamada passadeira. Acontece que não há espaço para uma cá em casa, senão já cá cantava, né.

Adenda a um post que está lá mais pra baixo

É só para dizer que tenho visto a Gabriela. E a Avenida Brasil. E também (em modo second round) Viver a Vida (e não é que aquela Luciana me dá ganas e nervores pelo corpo todo? Só me apetece bater-lhe), que passa no canal da Globo, às 21h00. E, às vezes, outra novela que dá na SIC, antes das 20h00, que agora não me lembro o nome.

Como terminar bem a semana?

Pagar 120 euros pelo arranjo do esquentador.
Mas nem tudo é mau, já que agora a água ferve e a pressão... bem, bota pressão naquilo. Ah, e por falar em pressão, hoje consegui correr 10.7 quilómetros.

12 dezembro 2012

12-12-12

Passei por aqui.

Ass:
Princesa M

10 dezembro 2012

Cá por casa

Virei a sala do avesso. Está tudo alterado, uma disposição nova e uma decoração diferente. Da árvore de Natal e dos berloques afins é que nem sinal. E é assim que vai ficar.

07 dezembro 2012

Como começar bem o fim-de-semana?

O esquentador fazer puffff

05 dezembro 2012

Já não há pachorra

Será que sou a única a achar que tudo aquilo que tem o rótulo "A melhor cena do mundo, do universo e de maizalem" não passa de banha da cobra?! Ora bem: o tal bolo, esse mesmo, para mim, é mais enjoativo do que comer leite condensado à colherada; a tarte (a última moda), epah, provem as tartes de amêndoa da minha tia L. e depois falamos; o outro bolo (a moda anterior à da tarte) hhuumm... bolos de bolacha como os de antigamente, feitos em casa aos sábados à tarde... oh tempo anda lá pra trás. E depois também há as bifanas, não é?! E com elas a sensação de que aquele pão... Ai o pão! É isto e a cena dos Pastéis de Belém. Ai, pastéis!! Pastéis!! Existe uma terra no interior do país que tem uma pastelaria cujo nome é o da serra que faz parte do concelho. Só quem nunca provou aqueles pastéis de nata é que eleva os ditos de Belém às alturas.

04 dezembro 2012

Querido Pai Natal

Nunca morri muito de amores por ti, tu sabes! Mas este ano, este ano não quero mesmo nada contigo. E tu também já deves saber disto. Sabes! Eu sei que tu sabes!

30 novembro 2012

É isto... E é tão triste

Cada dia que passa tenho mais vergonha do meu país; cada dia que passa mais medo tenho do dia seguinte. Aos pontos que chegamos, senhores. E aos pontos que se estima que vamos chegar...

29 novembro 2012

É sempre assim

O Natal ainda vem lá ao fundo e quase que já não posso ouvir falar nele.

22 novembro 2012

É isto

Estou habituada a mudar de casa, não de país.

21 novembro 2012

Juro

Preferia não ter sabido quem és.

13 novembro 2012

Olha-me esta

22h30: morta de sono; um olho aberto a olhar para a televisão e outro já a dormir o primeiro sono; lapa no sofá, onde adormeço sempre e de onde só me levanto para ir para a cama, depois de ameaças do estilo "ficas aí sozinha" ou "levo-te ao colo, mas vais de cabeça pra baixo"; vou aos encontrões a tudo até chegar à cama, com birra e a refilar porque estava a sonhar e acordei.

7h30/8h00: dormir mais para quê?! Abre-se o raio da pestana e soninho que é tão bom e sabe tão bem, viste-o! Hhummmmppffttt

29 outubro 2012

Descobertas

Tenho um humor matinal fantástico e só agora é que estou a dar por isso. Um humor verdadeiramente espectacular, que ainda por cima só dá o ar da sua graça quando durmo menos horas do que o normal. Tipo hoje. Hoje que acordei às seis da manhã a rir e a cantar. Saí de casa antes das oito a rir e a cantar. E foi a rir e a cantar que voltei para trás, quando já estava com a cabeça no norte, e depois de metade de metade do caminho percorrido, para ir buscar os (esquecidos) quatro tipos de gotas e uma pomada que ando a espetar no olho há uma semana pra ver se curo uma porca de uma infecção na córnea, herpes ocular ou lá o que isto é.

28 outubro 2012

Fases

Não tenho vindo aqui. Pois não. É que entretanto dediquei-me à costura. E ao restauro de móveis. (Mas ando é doida para restaurar uma casa) E a feiras de velharias e de roupas usadas. E a correr, correr, correr. E a andar de bicicleta. E a passar dias na terra, bem juntinho dos meus. E a mais umas quantas coisas para elaborar um currículo, que não me tem servido de muito nos últimos dois meses. Não tenho vindo aqui. Pois não. É que estar numa situação de desemprego fez com eu percebesse algo que há muito já suspeitava: há tanta vida lá fora! E é tão bom!

17 outubro 2012

É isto... Deve ser

Acho que sou a única pessoa que não vê a Gabriela. A novela.

16 outubro 2012

Coisas do outono?!

(Ou de quem não tem afazeres profissionais e ocupa os dias com ene actividades...)

Passar a tarde a andar de bicicleta pelas ruas de Sintra. Isso e não parar de assobiar a música do Verão Azul.

10 outubro 2012

Percebes que o verão acabou

Não, já não é quando trocas o pézinho ao léu pelas botas. Sentes mesmo que o verão já se foi, quando dás por ti a secar a roupa na máquina porque no estendal a coisa já não se dá.

03 outubro 2012

Atenção?! Atenção!!

Devo ser a única a esta hora que não está a ouvir o Gaspar. Estou antes a preparar a canja, pra mandar pra gorda e ver se tudo sarranja. Obrigada pela atenção.

30 setembro 2012

Expliquem-me porque eu não percebi

Ao mesmo tempo em que estamos a afundar a olhos vistos, a nossa língua é uma das línguas dos negócios e do poder?! E eu que pensava que não tarda estávamos todos na escolinha pra nos fazermos à vida com os russos ou com os chineses. Afinal, os de fora devem aprender a falar português?! Ok! Já agora: Português com sotaque brasileiro ou com sotaque angolano?! E outra coisa: Nesta onda de aprendizagem, por que não aprenderem não só os de fora como também os de dentro?!

20 setembro 2012

Dúvida

As Cinquenta Sombras de Grey. É mesmo este livro aquele que está no top de vendas semanas e semanas e semanas a fio? Mesmo? A sério? Sim?! E como isto pode explicar tão bem o panorama actual da nossa sociedade.

Sou normal?

Eu gosto mesmo de estudar, desta rotina, de ir às aulas, dos trabalhos, dos exercícios. E até nem me importo nada de fazer trabalhos de casa. A sério! Isto faz-me sentir mais feliz.

19 setembro 2012

O princípio da solução

Perceber que onde há pessoas há problemas.

17 setembro 2012

As segundas continuam complicadas

Aqui está uma coisa que a "atiragem" para o desemprego não me tirou. O demónio da segunda, depois de um fim-de-semana passado na terra, continua presente. E parece estar pior.

14 setembro 2012

Meninos

Não digam "continuas uma mulher incrivelmente bonita..." (com reticências e tudo) a uma mulher que já não vos aparece à frente desde os tempos em que não existia auto-estrada pro Algarve e com a qual já não falam desde mil novecentos e troca o passo. Especialmente se esse "incrivelmente bonita..." for enviado através do Facebook, por mensagem privada. Querem fazer conversinha? Então sejam mais cordiais... Nós preferimos assim.

12 setembro 2012

A minha profissão

O gozo vs a frustração

11 setembro 2012

E se...

Eu lhe disser que me apetece trocar o papel de parede do segundo quarto?! Ou melhor: e se eu lhe disser que ando com vontades de mudar tudo no segundo quarto... Outra vez.

Fora de moda

"Não tenho tempo". Já não se usa. O uso em demasia deu origem a outros possíveis sinónimos desta... Digamos, desculpa a modos que esfarrapada.

O nine eleven

E uma das últimas vezes, senão mesmo a última vez, que me sentei com ela numa mesa de café. Vimos tudo através do ecrã pequeno, lá ao fundo, longe da nossa mesa. Ouvimos os primeiros comentários à nossa volta. E ainda hoje me dá vontade de rir com as coisas que a tia dela disse naquele momento. Não ligamos patavina ao assunto. Afinal, eu tinha acabado de tirar a carta e a ideia de ir levá-la ao liceu, fazer de carro um percurso que a pé demorava menos de dez minutos, era muito mais importante para ambas. E ela dizia: "para o ano sou eu e depois ando com o twingo da minha mãe..."; a mãe dizia mazé para termos juízo e mais umas quantas coisas traduzidas em precauções e cuidados pelo facto de ter a carta desde a semana anterior. Ao mesmo tempo, acrescentava: "ai que pro ano é a minha I. Não tarda é a vez dela". Um tarda que nunca chegou.

09 setembro 2012

Não há festa como esta!

Avante com toda a gente pra Atalaia. Independentemente da ideologia política, este é o fim de semana em que muitos se divertem na Festa do Avante. Com ou sem o espírito político da coisa, a verdade é que basta entrar no espírito da alegria, da diversão e da camaradagem, esquecer por dois ou três dias os ais do dia-a-dia, e o fim de semana corre na perfeição. No ano passado, o Avante trouxe-me o final do verão e, sem querer, parece que marcou ali a chegada do sentimento outonal. Já pra não falar da valente constipação que apanhei neste fim-de-semana. E porque este ano recuso que o meu verão acabe aqui... Avante connosco pra terras do Sul. Porque também não há Algarve como este, o de Setembro.

08 setembro 2012

Hoje

É o dia em que me apetece questionar tudo e todos.

05 setembro 2012

Hoje

Foi o dia em que me fartei um bocadinho mais das lições e blá blá blás que por vezes a vida me dá. Já está mais do que na hora da roda virar, não?!

03 setembro 2012

A esquisitinha que há em mim

Estou com vontades de figos. Apetecem-me figos. Só penso em figos e só ainda não pedi ao homem pra me ir desencantar os figos, porque estamos a ir estrada fora e agora não deve dar-lhe lá muito jeito. E pronto, é mesmo isto... Figos. Mas eu até nem gosto de figos. O sabor, a textura. Só me apetecem figos. Figos.

Setembro

E a sensação de que só agora é que o meu verão está a começar.

Olha-me esta

Apanhei um escaldão nos lábios.

31 agosto 2012

É isto

Eu não teço críticas, faço ligeiras anotações.

Coisas que se ouvem nos centros de saúde

"Ele tem o intestino ligado ao cérebro?"
Pois, realmente, algumas pessoas só podem ter...

30 agosto 2012

Aprende isto

A ex do teu homem ou até mesmo a actual do teu ex pode ter a carinha da Cameron Diaz e o corpo da Jolie, mas tu serás sempre mais linda e maravilhosa do que elas. Aos teus olhos e aos olhos da tuas amigas. Ok?!

29 agosto 2012

Questão

Por que raio estamos quase todos com a mesma sensação: de que isto já deu o que tinha a dar...

Tão fofinho

Tenho para mim que a expressão "nem o pai morre, nem a gente almoça" é a preferida do tio Marcelo.

27 agosto 2012

Oh faxabore!

São quilos e quilos e quilos e mais quilos de chocolate a ser entregues em minha casa. Com avelã.

25 agosto 2012

Vida no campo

Sábado, 17h40, na tasca da terra. Hora de Amêndoa Amarga. E como isto se pode transformar num ritual...

22 agosto 2012

E o mundo fez pausa

O meu afilhado (15 anos) acabou de me dizer que tem "uma vida". Oh gosh!

Coisas de quem está de férias

Em que dia da semana estamos?

21 agosto 2012

Está tudo bem

Só estou com uma enxaqueca de morte e sem comprimidos para matar esta puta. Muito menos avisto uma farmácia nas redondezas. Mas está tudo bem. É isso e estar com uma vontade enorme de comer frango de churrasco com batatas fritas.

20 agosto 2012

Até à próxima, Alentejo!

Olá, rede no telefone!

19 agosto 2012

Oi?!

Atão o Louçã vai-se embora?

18 agosto 2012

Também é por isto que gosto dele

Eu: Olha ali a Cristina Ferreira da TVI
Ele: Quem? Aquela ali?!
Eu: Xiiuu... Tá mesmo aqui a frente (e aperto-lhe o braço)
Silêncio
Silêncio
Silêncio
Ele, cinco minutos de silêncio depois: Então, aquela é que é a Cristina Madeira? Tá bem...

17 agosto 2012

Primeiro meio-dia de férias

Dormir numa pousada da juventude no meio do Alentejo. Loucura. Mas o finório do meu namorado já falou duas vezes em "serviço de quartos"... Ele, que antes de sairmos de casa, ao ver a minha mala, me disse: "menina, se fosse eu a mandar, ias só de mochila as costas". E pergunto-me eu: Uma mochila para quê, quando se tem uma bagageira/cofre/mala (e digo assim, porque no outro dia aprendi que a parte de trás do carro que serve para arrumar cenas é chamada de diferentes maneiras por esse Portugal a fora) do tamanho de um tê zero?! E agora vou ali à sala de convívio dar uma abada ao meu homem nos matrecos. Ainda por cima são a vinte cêntimos.

Coisas pelos nomes

Cancro ou doença prolongada?

Das boas pessoas

O mundo está cheio delas?! Ok. Mas nunca ninguém é melhor pessoa do que nós. É a lição do dia.

Sentimento

Vamos de férias... outra vez. Mais dias ao sol, mergulhos até mais não, comidinha da boa e bebidinha do melhor. Costelaços ao sol, passeios rurais, praia e piscina, mar e campo. Dias grandes e noites ainda maiores. Espera-se isto e mais. E espero também que este sentimento que levo comigo desapareça. Os acontecimentos dos últimos tempos têm vindo a deitar-me abaixo. O aproximar do final do mês e aquilo que Setembro me trará... E a esperança de que nos próximos dias o telefone não volte a tocar com uma notícia igual aquela que recebemos na quarta-feira passada.

16 agosto 2012

Tenho uma coisa a dizer

Já não posso ouvir o Pablo Alboran.

13 agosto 2012

Afinal existe

O colar. Embora ainda não tenha percebido de que país é e achar que qualquer barraquinha praia tem um igual. Ou parecido, vá.

12 agosto 2012

Viva a gandaia!

Uma filha que canta querer beber até cair, ao lado do pai, enquanto este a passeia de descapotável. E pensava eu que era a minha geração a tal da falta de princípios, de valores e de morais. Não sei onde me perdi. Que vida loca, esta. Enfim.

PDI (ou como diz o meu pai: p^*]]£ da idade)

Eu sei que ainda falta muito, que ainda pouco vivi esta bela idade que são os 29 e que mal me habituei a eles. Mas pelo que vejo vou chegar aos 30 descalça. Fogo, ainda a caminhada da noite vai a meio e já me despedi dos sapatinhos. Houve noites da minha vida em que conheci manhãs do alto de saltos que me aguentavam até mais além. E hoje, é com uns coisitos baixitos que me vou abaixo. Bahhh

Para mais tarde recordar

Um dia, quando for velhinha, vou ter mesmo de me lembrar disto:
Ele1, enquanto vê umas fotos: estiveste na croácia?!
Ele2: ya...
Ele1: então, e gostaste?
Ele2: ya... Trouxe de lá um colar.
(silêncio)
Ele1: Ah, mas isto é Milão...
Ele2: Nápoles
(silêncio)
Eu: E o colar?
(silêncio)
Ele1: E passaste o Panamá?
Ele2: Não! Mas tenho um dossier de três meses das Caraíbas.
Eu: Então e o colar?

Situações embaraçosas

Sais à noite com o teu namorado e um amigo vosso. Vais a um bar e durante as várias horas que lá passas, entre conversas sérias, gin tónicos e uma máquina que a moer gelo faz um barulho ensurdecedor, contas já três gajas desconhecidas que te abordam para perguntar a marca da tua saia. Uma simples e mera mini-saia verde da Zara, comprada no fórum Sintra, em saldos.

08 agosto 2012

No culto da esplanada

Adivinha quem voltou

A prima insónia. Chegou sem avisar, não bateu à porta e instalou-se à grande. {<~+\£\¥|$^>_\|¥*@&"?-)]*\!?£¥ pra não dizer outra coisa.

De pessoas para pessoas

"Eu sou maluco, mas eu sei. Tu és e não sabes".

07 agosto 2012

Querido, mudei a casa...

E aquelas pessoas que vão ao (ou... à) Ikea apenas e só para comprar cabides e saem de lá com toda uma nova decoração para a sala, para o quarto, e ainda uns miminhos para o hall de entrada?! Não esquecendo umas coisinhas para a cozinha e ainda dois roupões de banho. Sim, eu sou dessas. E acabou de acontecer.

Miami foi-se

E o quanto eu gosto de ficar sozinha em casa, enquanto ele está no outro lado do oceano a fazer bitoques requintados... boooooriiinnnggg

03 agosto 2012

Camarada Relvas, já fostes!

Descobri hoje que o meu pai tem um certificado de cozinheiro, com data de mil novecentos e setenta e troca o passo. Até aqui tudo bem, não fosse o facto de ele não fazer ideia de como se estrela um ovo ou se descasca uma batata.

Nos entretantos

A vida passa e os meus dias são assim. Sim, Heidi cenas Klum, pensas que és só tu, não?!

Ai oh mãe, a culpa não é minha...

Ontem, a senhora minha mãe chamou-nos gordos. Mas que podemos fazer nós se hoje, logo pela manhã, fomos acordados por uma buzina de um carro, que quando estacionado fez sair duas pessoas, que disseram: "hoje é dia de patuscadaaaaa!"
Ora bem, à irmã mais velha e ao cunhado nunca se nega a festarola, pois não?

Acordar pra vida é preciso

Não só abri a pestana logo pela manhã com a sensação de que hoje é segunda-feira, como acordei a pensar se a capa de uma revista já estaria online aquela hora.

Bonito

Percebes que na última semana abusaste mesmo à grande na dose das tripas com ovos moles e nas tainadas diárias, quando chegas a casa e ouves a tua mãe dizer, a ti e ao teu homem, durante o jantar: "tu e tu, vocês os dois estão gordos." Hhhuummppfff logo hoje, dia em que a sobremesa do jantar era o molotof da minha tia

02 agosto 2012

Coisas de quem está de férias

Eu quero jogar ao peixinho, mas eles teimam em dar no póquer madrugada fora. Estou pra ver quantos M&M's esta noite vai render.

31 julho 2012

Coisas que se dizem na terra onde estou a falar

"Um dia ligaram-me desse sítio, mas como na altura não pude atender.... Depois, liguei pratrás". Epah, isto foi bonito de ouvir... E de ver. Toda uma sala um modo pause a olhar para quem disse a expressão.

Sou pior do que as crianças

Depois de um dia de praia a saltar e a pular, começo a noite... A acordar agora no sofá. O primeiro sono já cá canta. Agora, venha o jantar. E a sangria que está ali a espreitar. Abençoadinhas férias felizes

Estar de férias é isto

Mais um ovo mole ou mais uma tripa ou mais uma bola de Berlim e rebento.

29 julho 2012

"Estás lá tão bem"

É o que toda a gente me diz quando respondo que moro em Lisboa. Fogo, será que sou mesmo a única a achar que "estar lá tão bem" é pura ilusão?!

27 julho 2012

Obrigada, vida!

Ok, estou com um pé no desemprego e outro no mercado de trabalho. Mas, fogo, vida, não me posso mesmo queixar de ti. Celebration

26 julho 2012

É ele que diz

Que não estou bem, mas que vou ficar melhor. Que vou mudar uma vez mais e que vou amadurecer mais um bocadinho.

Diz que acredita que vou conseguir focar-me mais naquilo que é essencial e que rapidamente vou definir novas e essenciais prioridades.

Ele diz que está contente por tudo isto que está a acontecer. Diz que sabe que eu não partilho deste sentimento, mas que também sabe que não tarda vai ser mútuo.

E diz que acha que vou ficar menos chatinha e refilona e que os dias "de mal com a vida" já se foram...

24 julho 2012

Um dia



Vamos conseguir viver afastados. Hoje ainda não é o dia.



Hoje

Apetecia-me que a minha vida tivesse um guião, onde fosse possível voltar atras e alterar um ou outro pormenor que iriam fazer toda a diferença hoje.

21 julho 2012

Caro Toni Carreira

Ainda não sabes, mas aqui fica o aviso: és tu quem me vai livrar do desemprego. Estamos juntos... Num pavilhão Atlântico próximo

20 julho 2012

A minha vida vai mudar

Hoje descobri que consigo fazer coros. E não tarda vou ali desenrascar e fazer de "corete".

Celebração

Do amor. Do nosso amor.
Dois anos de nós.

16 julho 2012

O verão dá-me cenas

Que saudades destas noites quentes e do céu estrelado que se vê do chão da casa dos meus pais. Estão 26 graus e é quase meia-noite. Hoje vejo as estrelas deitada numa pedra quente. Acho que vou dormir dentro de água.

15 julho 2012

Homens

Um piquito de febre, sonolência, tosse de cão, calafrios e dores de corpo. Igual a às portas da morte...

Percebes que a tua vida mudou quando...

Sábado, 23h55 e já tás na cama. O telefone toca. Pai e mãe. O aviso é curto: não se preocupem, não sabemos a que horas vamos chegar a casa; vamos chegar tarde. Isto tudo dito com barulho de fundo ensurdecedor. Ok.

13 julho 2012

Esqueço-me sempre disto

Não posso fazer jantaradas, festanças, noitadas e afins que começam na tarde de quinta-feira e que só terminam pela madrugada de sexta...

Discussão da noite

Quando um grupo de amigos se reúne para jantar e sem nada nem porquê a conversa descamba e alguém começa a falar de pessoas que gostam de cantar... No duche. E eu pergunto-me: como seria viver com alguém que gosta de cantar no duche logo pela manhã?! Eu, que mal toca o despertador me levanto em modo automático e, por vezes, rezo pra que o homem tenha saído mais cedo. Isto pra não ter de fazer conversa ou falar acerca do dia que está a começar. Não sou de palavras matinais. Ponto.

12 julho 2012

A frio

E de repente percebes que o teu último dia de trabalho antes das férias, pode mesmo ser o teu último dia de trabalho na empresa onde trabalhas.

11 julho 2012

Isto é vírus, só pode!

Não, não estou a falar da tosse que me acompanha desde o início de Junho e que já me levou a tomar antibiótico, pastilhas pra garganta, cenas pra respirar melhor, outras tantas para desobstruir os brônquios e ainda mais um litro de xarope e uma cena que me dá uma moca fantástica. Estou mesmo é a falar da soneira que me anda atacar. Não é que só me apetece dormir pah.

09 julho 2012

Domingos em família

Cada vez gosto mais dos ajuntamentos que a minha família faz. É certo que o facto de sermos muitos, de haver muita conversa e de toda a gente falar ao mesmo tempo me faz uma certa impressão. Já para não dizer que se passa o tempo todo a comer... Mas esta é uma confusão que cada vez mais me sabe bem em cada ajuntamento. Ainda na passada semana estávamos todos em terras de lá longe e hoje já estamos todos juntos outra vez, por terras do norte. E o mais incrível é que esta gente consegue celebrar cada encontro como se já não estivessem juntos desde 1978. E cada momento é sempre aproveitado da melhor maneira, como se fosse esta a última vez.

Coisas que me apetece partilhar

Feira de Espinho, somos tão felizes juntas!

Cenas de gaja

Obrigada, mãe Lina! Estou longe de meter os pés a caminho de uma maternidade, mas quando esse dia chegar ai de mim que não leve uma maleta completa e toda apetrechada com tudo de bom. É que depois de ter acabado de ler o "manual da mala da maternidade"... Pela terceira vez... Dei por mim a pensar "já vai na terceira. Ainda me lembro quando li aqui esta temática sobre a segunda". E logo de seguida, claro que me surgiu no pensamento o dia da revelação que a primeira estava para chegar. E como o tempo passa...

06 julho 2012

Mas eu aguento?!

13 horas de trabalho depois chego a casa e vejo um gajo de cabelo rapado...

Nunca digas mal do teu chefe

Há sempre outro pior do que ele. Acredita!

Todos os problemas fossem relvas...

O homem levou um canudo para casa à conta de anos de experiência de vida. E aqueles que não percebem patavina daquilo que têm meio metro à frente e mesmo assim mandam pra lá de muito?! Das duas, uma... e venha cá o diabo escolher.

05 julho 2012

E depois também há isto

Um mal nunca vem só...

04 julho 2012

Em modo...

Oh tempo vê mazé se te pões a andar. Há coisas que não adiantam mesmo andar a engonhar e que só interessa que passem depressa. Assim está ser este presente, que nem é carne nem é peixe e que só dá nervos de tão sem sal. Acelera tempo que o futuro está lá à frente, em pulgas, à espera. Zimbora!! A malta quer fazer acontecer!

01 julho 2012

29 junho 2012

Remédio santo

Estou com tosse de cão desde segunda-feira. A voz já se foi, já voltou, e regressada está armada em parva. Ora parece que engoli élio ora parece que ressono antes de falar. Depois de um frasco de xarope já ter ido goela abaixo, dizem-me que isto passa com dois copos de vinho branco fresquinho. A verdade é que já lá vão quatro e a coisa não vê sombras de melhoras...

Peter pan

Felizmente tenho uma família grande, daquelas que enchem um autocarro dos maiores. Lembrou-se alguém que o mais recente ajuntamento tinha de acontecer em terras de "voilá, obrigado, e, não me chateies que nos sommes quase a chegar". Realizado o feito, cá estamos todos na Suíça. A maioria veio da serra num autocarro fretado para o efeito e outros viajaram de avião. Sem exagero somos quase quarenta pessoas, com idades entre os 16 e os 82 anos e, claro está, a confusão está instalada. Logo de início, e como sempre me fez espécie este tipo de ajuntamento cigano (embora adore a ideia de estarmos todos juntos) decido comigo que toda a gente deve escolher o seu canto e só depois de todos estarem devidamente confortáveis é que me instalo. Pois muito bem, quase, quase, quase a ser recambiada, eu e o meu saco cama, para a mega banheira da casa de banho, eis que estou refugiada num canto da casa do meus tios, à espera que se decida onde dormem os meus primos adolescentes, que não são primos um do outro (e que passaram o dia juntinhos, em passeios, e aos segredrinhos) e acabo de ser informada que vou dormir ao pé deles. A minha mãe e a minha tia "ordenam" a coisa com um olhar e eu recebo a ordem com outro. Se me apetece?! Claro! Afinal, também eu já tive 17 anos. A diferença é que na minha altura não tinha primos assim tão mais velhos, nem estes acontecimentos eram tão reais. E se de manhã estava mais ansiosa do que o meu afilhado por viajarmos os dois sozinhos no avião, agora estou em altas com a ideia de estarmos os três a conversa sobre cenas de adolescentes. E tou mesmo a ver que vai ser all night long.

Daquelas coisas

Vou voar com o meu afilhado. É a primeira vez que ele vai andar de avião. Estou mais ansiosa e nervosa eu do que ele.

Lá no fundo

Assusta-me um bocadinho a realidade que está à minha espera, ali já, no fim desta estrada que ainda percorro.

28 junho 2012

Carbonero, filha!

Todos nós já metemos o pé na argola durante o exercício da nossa profissão. Seja ela qual for, a argolada e a profissão.

Ora bem.. Outra vez

Como ficamos cheios de orgulho na nossa nação, por que não aproveita-lo para coisas bem mais necessárias para o nosso dia-a-dia enquanto pessoas portuguesas do nosso Portugal?! É que estamos mesmo a precisar!

Ora bem

Que venha a alteração ao código do trabalho e que aqueles que estão com os pés pra rua batam palminhas; Que o desemprego aumente e que neste verão faça inverno; Que a Merkel se mude pra Quinta da Marinha e passe fins-de-semana na Quinta do Lago... Que os apertos sejam mais apertados e que os combustíveis continuem a aumentar o preço por litro. O Passos Coelho pode abdicar do mercado da Manta Rota em Agosto e ir dançar o bailinho com o Tio Alberto. Depois, juntos, comer um atum muito, muito, mesmo muito mal passado. Enquanto isso, o Sócrates até pode ir aproveitar os descontos do freeport e pedir fiado e o desaparecido Sarko dar o ar da sua graça; Os pilotos e maquinistas vingarem com as suas greves. Ah, e o meu vizinho que continue a desancar na mulher (e ela nele) à vontadinha e a polícia continuar nem aí. Epah, mas ficarmos sem o Europeu depois de cento e não sei quantos minutos de sufoco, aflição, depois de termos desenvolvido uma relação de ódio com as balizas e um sentimento estranho em relação aos penteados do Quistiano, epah ficarmos sem o Euro isso é que não. Agora vamos viver de quê, anh?!

26 junho 2012

Odeio esta sensação

Estou sozinha em casa, mas parece que não...

Questão

Os menos competentes são mais fáceis de moldar, certo?!

25 junho 2012

Oh vida!

Já não chega de me pores à prova?! Pára lá um bocadinho com isso, sff!

Coisas que me apetece partilhar

Adoro o cheiro que fica pela casa quando tiro a roupa acabada de lavar de dentro da máquina.

21 junho 2012

Olha, deu-me pra isto!



Será que lancei uma tendência?!

20 junho 2012

Coisas da idade

Percebes que o tempo passa quando dás por ti a dizer: "Se eu fosse mais nova..."

19 junho 2012

Uma cena estranha

É aquilo que sinto sempre que leio "... Até que decidiu aventurar-se como freelancer" no perfil de alguém.

16 junho 2012

Conversas a minha volta

A diferença entre jet7 e um tal de jet8

"É dos ares", dizem

Não posso passar férias na terra. Passo os dias a comer tudo e mais alguma coisa. Mas a culpa não éinha, repito para dentro, como que a querer convencer-me. Mas... Por aqui, ele é festas, música até as tantas, almoçaradas que começam às 11h00 da manhã com aperitivos e que só terminam às seis da tarde, já com a malta e a família a combinar o jantar e o arraial do dia seguinte, em casa deste o daquele. Ele é toda a gente a lamentar-se do tempo, que outrora era tão certinho, a dizer arcas e coiradas por que ainda não se meteu o pé na piscina, enquanto se vislumbra a vista da serra, que mal se vê devido "ao negrume que pra lá vai". E depois, a reunião continua debaixo do telheiro, onde se aproveita para continuar a comer e a beber. E tarde passa... E eu até que conseguia viver aqui... E era tão mais feliz, tenho a certeza.

13 junho 2012

Obrigada, 28!

Foi muito bom!

11 junho 2012

Coisas que me assustam

O meu afilhado faz amanhã 15 anos. Stop. Diz que vai ser enfermeiro. Stop. Anda a tirar um curso para ser modelo profissional. Stop.

10 junho 2012

Não posso...

As poucas horas que dormi esta noite foram passadas a sonhar com a Luciana Abreu.

08 junho 2012

Coisas da idade

De repente, a ideia de ir ao cinema sozinha não te aflige e almoçar ou jantar sem companhia num restaurante cheio de gente é tão normal como tudo o resto pode ser.

Tal e qual

MC, tive mesmo que copiar.
"Nascem coisas importantes para dizer quando ele está super mega atento à televisão. Não tenho culpa, nascem". Só acrescento que as minhas nascem sempre no início de um filme ou de uma série. E ele fica doido...

04 junho 2012

Efeito boomerang?



Dizem que tão depressa a vida tira, como tão rápido dá. O bem e o mal. A alegria e o sofrimento. Tudo e nada. E depois, é em dias como o de hoje, e em pequenos nadas desta minha existência, que eu consigo ter a certeza de que todas as minhas decisões até ao dia de hoje, foram sempre boas decisões. Sem sombra de dúvidas que sim. E sinto-me bem por dentro. E fico feliz por isto tudo.

03 junho 2012

Resumo de uma semana de férias



A Boavista ganhou uma unha do pé e eu trouxe de recuerdo uma enorme dor de da barriga. Menos mal. Música, mojitos, vento quente no rosto, mergulhos na água salgada, caminhadas na areia molhada e amor ao pôr-do-sol... Amor todo o dia. Amor com tempo para o amor. Abraços. Descanso. Alegria. Morabeza!!!

30 maio 2012

Daqui vão dois beijinhos



Pra pessoa que inventou as férias.

25 maio 2012

Uma coisa que detesto fazer?!

Malas. É uma coisa que me dá ouras, como diz a minha avó.

23 maio 2012

Oh vida...

Vivo a alface. Sou voluntária por obrigação. O homem foi servir bitoques pra longe. O portátil avariou. Palmilhar seis quilómetros ao final do dia já é coisinha pra meninos. Não consigo dormir. Preciso de tempo para ir à depilação. Nunca mais é sexta. Tenho fome.

21 maio 2012

Desabafo

Mudar de vida. É preciso. Eu preciso!

16 maio 2012

A minha missão neste mundo

Uma das, vá. Sou uma casamenteira. É o que é. Aqui há dias, numa conversa com o meu homem acerca de uniões improváveis (onde a nossa se inclui... e isto até é história que dá um post), dei por mim a lembrar-me das pessoas que fazem parte da minha vida e que à conta de uma ou de outra situação que me diz diretamente respeito, estão juntas, casadas. Melhor do que tudo, têm vidas felizes, à sua maneira. E é giro, é bom, é um sentimento forte saber que de uma destas uniões, uma das mais improváveis até, resultante de uma ida de amigos de férias para Palma de Maiorca há seis anos (saudadessss...), vem uma Maria a caminho. E chega já pro mês que vem.

10 maio 2012

Ora, atão, damos por iniciada a época oficial de pézinhos ao léu. E é isto.

08 maio 2012

Somos padrão em massa. Crescemos com o (um dia inventado) padrão (pre)estabelecido da educação, da cultura, daquilo que os nossos pais sonham para nos, da nossa criação, ou, sei lá, até mesmo pelo facto de “termos” de fazer das tripas, coração, para que a vizinha do lado nunca fale mal daquilo que somos, naquilo que nos tornámos e daquilo que fazemos no nosso dia-a-dia. Ou até talvez não querermos saber da vizinha para nada.
Mal ou bem, crescemos com o objetivo incutido de nos tornarmos excelentes pessoas. Incutem-nos os princípios do uso e abuso das palavras “licença” e “obrigada”, como se de um ámen se tratasse; de perguntar vezes demais "porquê" ou de não dever questionar ou equacionar. Juízos de valor, esses não servem, mas servem sempre. Para sempre. Educam-nos para que sejamos bons profissionais. Esperam de nós a genialidade, o melhor dos melhores. Educam-nos para ser alguém, como se de ninguém se tratasse. Educam-nos porque assim se pensa a felicidade, quando na realidade esta acaba por ficar esquecida. A educação para a felicidade fica ocultada. É a vaidade que a oculta. A vaidade de mostrar a genialidade do ser que se criou. O ser que (tão) facilmente se consegue manobrar. E os desejos mais bem guardados? E as vontades? Tudo isto acaba por ficar trancado na gaveta escura. Tudo isto é como que esquecido e ocultado pela força maior, que impede a lembrança de que, raras vezes, ser génio não é ser feliz. Ser génio é viver uma vida muda. Surda. Calada. Mas de que me vale ser um génio, se para isso terei de viver calada?! é por isto que todos os dias me lembro o sentimento sentido naquele dia em que me mostraram que, por vezes, fugir ao padrão é a saída certa. É o padrão. Ainda que talvez esta saída não mostre o caminho para a genialidade, é a saída que nos ensina que não ficar calada é, isto sim, um ato de genialidade. Nem que isto nos custe um percurso profissional que ambicionamos. Ou ambicionávamos, vá.

02 maio 2012

Lembrar de nunca me esquecer

O som da chuva numa noite escura; o sentimento que causa em mim cada gota de água, que cai cheia de força no chão já molhado. A (maravilhosa) sensação de estar a ouvir isto tudo, deitada, debaixo do edredon de penas, com o pijama vestido e os pés descalços. Fechar os olhos. Ouvir. E sentir. Sentir o braço dele à minha volta. O abraço. E a chuva. A força da chuva a aumentar. A aumentar. E eu peço mais. Mais. E mais...

24 abril 2012

04 abril 2012

Coisas da vida

Dizem que é "naqueles" momentos que nos lembramos "daquelas" pessoas. Dizem. E hoje, quando faz todo o sentido, lembrei-me "daquela" amiga. E bateu uma saudade. E senti falta.

30 março 2012

Um caso de vida ou morte


Truques e dicas para que esta relação seja bem sucedida? O início do namoro não está a correr bem... Temo que toda a dedicação da minha parte não seja suficiente. De manhã é um castigo para sairmos juntas de casa, demoro horas a colocá-las. Quando coloco a dos três risquinhos pica que farta. Será que a coloco ao contrário? Não me lembro se os risquinhos são para cima ou para baixo. Ao final do dia são elas que não me largam. Parecem lapas e não consigo tirá-las. E já agora, não posso mesmo dormir com elas? Tipo... 10 minutos? Não?! Como vão ser as minhas sestas durante as viagens?  

26 março 2012

Isto é grave

Sono. Só tenho sono. Passo os dias cheia de sono. Estou de férias e só tenho sono. Acordo de manhã, tomo o pequeno-almoço, fico com sono. Almoço, dá-me sono. Vou pra rua, passo o tempo a pensar na hora de chegar a casa, porque estou com sono. Esta coisa de estar em terras altas com altas temperaturas é grave. Só pode.

15 março 2012

Enquanto chove


Eu cá já só peço que neve. Pera, antes disso, que sábado o sol brilhe muito. Quem inventou que boda molhada é abençoada, esqueça o assunto. Depois de sábado, que neve muito. E também que o meu fato de astronauta ainda me sirva, para eu matar as saudades que sinto de me sentir um boneco michelin. Que os chocolates quentes continuem quentes. E docinhos. E que tudo o resto continue como sempre foi. Ah, e se for possível, que o meu rabo se mantenha bem longe do chão. Obrigadas tia e tio (e prima, vá... só por causa da tua roupa) por um dia se terem lembrado de ir embora para terras altas e, assim, me proporcionarem férias alpeanas à lá borlix) Ti jei.

12 março 2012

Hoje


Não sou eu quem está a desistir. Continuo de braços levantados. Entrei no barco. À força. Fui forçada, sim, mas entrei. Talvez tenha sido empurrada. Empurrada por mim própria. Não estou a desistir. Continuo aqui. Não sei porquê, mas continuo. Às vezes parece que isto é uma máquina, que responde ao toque de um botão. A ser, a máquina está perra. Mas anda. Ainda anda. Ainda. Não sou eu quem está a desistir. Tenho a certeza disso. E custa-me. É triste saber que assim é. Mas agora vou ali aproveitar o facto de serem seis da tarde e ainda ser de dia.

08 março 2012

Eis a questão

O que é preferível: ficar na ignorância ou ter a certeza de algo, ainda que essa certeza possa não ir ao encontro daquilo que queremos?

07 março 2012

Um post contra o mau feitio

Estou quase a entrar de férias. Não, não é isto. Correcção: Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a ir de férias. Estou quase a... Faz de conta que escrevi isto cem vez.
Entretanto, ainda aqui andas, TPM?! Andas? Andas! ^~<£*~}^~}^*}|$#£~.?$^}{]|^¥+,|%,#*¥£~{^=|#^<#*<%?~^?%$>^¥<% que é para não dizer outras coisas.. Chiça, há dias que gostava de não ser mulher. (não disse isto, ok)

06 março 2012

Ainda te lembras disto?

Há dias difíceis

Principalmente aqueles dias em que a terça é uma segunda-feira.

03 março 2012

02 março 2012

Coisas de que me apercebo quando saio de Lisboa

O céu estrelado afinal ainda existe. E continua lindo.

Estava para acontecer

Fugi de Lisboa. A intenção era chegar à estacão de Sete Rios e comprar um bilhete com destino à terra fria. Cinco minutos na bilheteira, cinco pessoas depois e chega a minha vez. Saio de lá com um bilhete para o destino oposto. 20h35. Autocarro 95. Cinco minutos de atraso. Chegada prevista para as 23h45. Quanto ao resto, bem, o resto logo se vê.

01 março 2012

Olha-me esta...

Acordo enjoada. Tomo o pequeno-almoço, chego ao trabalho enjoada. Depois de almoço, fico meia enjoada. Fui jantar fora, estou enjoada. Tenho uma amiga que está grávida (menina! menina! menina!)... devo estar a ter os sintomas por ela.

Chove, chuva



E temos tema de conversa nos próximos tempos

24 fevereiro 2012

Daquelas coisas

Tão a ver aquelas alturas em que só vos apetece chorar, mas não conseguem? É isso...

23 fevereiro 2012

opaaa... e que tal, hum?

Eu gostava daquela coisa do "gostar" nos posts do reader. Há blogs que não conheço a cara, porque pura e simplesmente só os abrir no primeiro dia em que os li. Vai tudo para reader... facilita, pah. E confesso que volta e meia, depois de ler uma ou outra e outra e outra coisa, que ainda vou ali à procurar do botão que diz que gosto daquilo. Pois bem, senhores que mandam naquilo, não querem devolver o botãozinho?! E mais. Podiam também dar-nos uma opção para partilhar posts e assim no nosso blog. Pronto, é isto. Obrigadasss

São fases

15 fevereiro 2012

Esta vem mesmo a calhar

Copiada da blogosfera. Direitinha para ti.

A minha relação está condenada ao fracasso


Pelo segundo ano estamos a terras de lá lá longe um do outro. Lá nos vão valendo os outros 300 e não sei quantos dias do ano que passamos juntos... Ufa.

14 fevereiro 2012

Estou com precisão de desabafar

Sou do Sporting. E gosto.

05 fevereiro 2012

Coisas que se passam enquanto Portugal sofre com calores da Sibéria

Há quem passe o serão de domingo enfiada dentro de um estúdio de televisão, com senhoras muito pra frentex, que dançam como se não houvesse amanhã, ao estilo "somos todos divas", e uma menina que diz que é "gira e voa" e fala em cocó enquanto chama pela margem Sul ao som de uma música qualquer, bem ao estilo daquelas que nos fazem embater em carros numa qualquer pista de carrinhos de choque. Mas nem tudo é mau... Táqui quentinho. Ah, e o Zé Carlos Pereira já tem cabelo outra vez.

25 janeiro 2012

Tou que nem posso


Queridas pernas e as nádegas, onde estão? Não vos sinto aqui.

24 janeiro 2012

A quente



Caminho numa estrada cujas bermas parecem não ter fundo e onde vejo afundar-se a vida de alguns que caminham a meu lado. Vejo amigos a ficar sem trabalho, pessoas com quem divido o dia-a-dia verem uma vida, a sua vida, ser esquecida em minutos. Os minutos que demoram a comunicar que a partir daquele momento o tudo que poderiam ter sido até então, se resume a um nada dali para a frente. Na minha estrada cruzo-me com semblantes carregados, faces preocupas e, algumas, poucas, aliviadas. Nesta estrada, os sorrisos, as gargalhadas partilhadas e o companheirismo deram lugar ao sentimento de revolta, à fúria. Deram lugar ao nervoso miudinho, à falta de palavras. À falta de palavras, não por não se querer falar, mas porque não se saber o que dizer. Nesta estrada, ficam um pouco mais tranquilos aqueles que como eu ainda podem dizer aquele até amanhã, antes de desligar as luzes e bater a porta. Mas lá no fundo, nesta estrada, todos receamos que chegue o dia em que o até um dia dê lugar ao nosso dia de amanhã.  

23 janeiro 2012

A vida é maravilhosa e lá fora o sol brilha. Ou talvez não...

Quando uma desgraça não vem só:
O meu patrão paga à semanada e consegue o milagre de tornar essa semanada invisível aos olhos de todos.
A minha mãe está de cama.
O meu pai acabou de ir de urgência para o hospital.
O meu namorado teve uma espécie de acidente de carro na sexta-feira à noite.

Percebes que a tua vida mudou...

Quando levantas os rabo da cama num domingo bem cedo e às 9h30 já estás a caminhar junto ao Tejo.
Quando chegas à noitinha e somas 16 quilómetros à caminhada.
Quando saltas da cama logo ao primeiro toque do despertador de segunda- feira, sem dores nas pernas, e vais fazer voluntariado para o teu local de trabalho.
Quando antes de sair de casa, olhas para os patins em linhas e amandas para o ar um até logo, amigos!

Momento

22 janeiro 2012

21 janeiro 2012

Percebes que a tua vida mudou...

Sábado: 22h52
Onde: sofá
A fazer: dobrar meias

20 janeiro 2012

Janeiro

É esquisito. Janeiro é estranho. Não gosto de janeiro. As revoluções na minha vida aconteceram sempre nos dias que percorrem janeiro. As mudanças menos positivas na minha vida chamam-se sempre janeiro.

Estas coisas fazem-me pensar

Não há dia que não me questione acerca do futuro do filho pequenino dos meus vizinhos. Preocupa-me esta família. Não há dia que não aconteça uma discussão assustadora dentro daquela casa. É ouvir a mãe, que demonstra tamanha falta de paciência, falar mal e demasiado alto para a criança, um menino que só tem quatro anos; é ouvir todos os dias o marido berrar com a mulher, tratá-la mal, chamar-lhe os piores nomes e mais sei lá o quê que as paredes não deixam ver. Ainda hoje a deixou pendurada à porta de casa, demorou o tempo que quis para lhe abrir a porta e lá de dentro atirava com ironias, como se fosse um crime ir ao supermercado e não levar a chave de casa. E o miúdo a assistir a tudo. Quando finalmente a mulher entra em casa, o filho repete vezes sem conta "mãe, mãe, mãe... mãe", mas como resposta ao chamamento leva com um "Ai, G. Agora não, não me chateies...", em modo alto e bom som.

19 janeiro 2012

Peso na consciência


Ou outro nome para.... pizza de Nutela, que agora marchava com uma pinta...

Resolução para o ano 2067 (porque temo que antes será coisa impossível)

Nos jantares de gajas, tudo aquilo que seja iphones, blackberrys, andróides, e o camandro que permita trocar watsapps, actualizar o Facebook, ver emails, fotografar a pizza de nutela e espeta-la de imediato no instagram, ler blogs, fazer check in no foursquare, e mais mil e tantas coisas que dão pra fazer outras mil e tantas coisas... Isto tudo fica em casa. (é nesta parte que tenho de dizer que só estou a escrever este post agora, porque fiquei sem bateria a meio do jantar?)
Ainda assim, continuarão a ser permitidas as idas a restaurantes onde se partilham mesas com desconhecidos. De certeza que em 2000 e não sei quantos ouvir conversas dos outros durante a refeição continuará a ser muito bom.

17 janeiro 2012

Não é que enjoei


Eu até gosto, eu como, eu vou, eu combino com as amigas e até faço a vontade ao homem. Por vezes, vou pelo meu próprio pé buscar para o jantar e fico deliciada no chão da sala, com aquele jantarinho e um bom vinho. Acontece que depois de tanto emborcar isto agora já não me sabe... já  não me dá cenas como antigamente e prefiro comer tudo menos isto. E enquanto estava a escrever isto, recebo um email de uma colega com a convocatória para uma sushizada... e ontem combinei a próxima ida com a tia. Bonito.

Coisas da vida

Sabes que um dia muito importante na tua vida vai correr bem, quando, ao sair de casa logo pela fresquinha e ainda antes do sol rair, pisas uma poia daquelas valentes.

09 janeiro 2012

Dúvida

Até quando se deseja Bom Ano?

08 janeiro 2012

07 janeiro 2012

Motivos não faltam


Agora que os reis fecharam a porta das festas, podemos começar a contagem decrescente para o Carnaval?

03 janeiro 2012

Querido Ano Novo

Preciso de uma fezada!

02 janeiro 2012

2012

Que as coisas difíceis continuem a ser difíceis. Para que assim o valor das conquistas seja devidamente apreciado. Que as coisas boas da vida continuem a ser as coisas boas da vida, junto das boas pessoas, daquelas que se mantêm. Aquelas que dão valor ao dia-a-dia, ao minuto qualquer de qualquer dia e não aos dias estipulados pelo calendário. Que os dias quentes continuem quentes e os frios ainda mais frios. Porque o valor das coisas boas está e estará sempre no inesperado. Que cada momento de 2012 seja, assim, inesperado.