31 maio 2010

O que é que eu fazia pela Selecção?


Ora, mandava calar as vuvuzelas! Tenho um catraio de um vizinho que todos os dias, de manhã e ao final do dia, toca de ir para a janela das traseiras (ali para os lados do meu quarto), meter as beiças naquela porcaria e soprar, soprar, soprar... O mundial ainda nem começou e essas cornetas já não saguentam!

Memórias de um fim-de-semana











É isto


Oh homens, sois tão burros!

No Reino dos Sonhos


Este fim-de-semana voltei a sonhar com isto.
Às vezes, de quando em vez, acontece-me.

Estado

Qualquer semelhança com um escaldão, é pura coincidência.
A culpa não foi minha!

"Bônito, bônito, bônito"


holla, jose!

Tão bem que ficas a falar espanhol.
E ainda sabes falar português...

28 maio 2010

Conselho


Dizer (sempre) a verdade... ainda que seja a mentir.

Huuummmmm


Hum!
Depois de ter lido em vários blogues palavras bonitas em relação ao tema "Temos de falar...", não precisei de muito para chegar a esta (brilhante e luzidia) conclusão: A três dos 30, portanto, em quase três décadas de história, tenho para mim que foram mais as vezes em que fui eu a dizer esta linda expressão, que a ouvi-la. Agora vou ali pensar um bocadinho neste assunto. E (tentar) concluir alguma coisa (boa)...

27 maio 2010

Would you lie with me and just forget the world?


Estou quase a fazer anos... #4











Ai, socorro!

Desceu em mim uma luz, agora, que me fez lembrar que esta noite sonhei que tinha sido despedida do meu trabalho... e acho que a luz desceu, agora, porque acabei de constatar que isto, hoje, tá-me a correr tão bem, como correu ontem! pronto, já percebi também porque é que só acordei à hora em que normalmente costumo sair de casa... se calhar pensava que já não vinha trabalhar. Ai, vida...

Contigo


Até ao fim do mundo... e maizálem

26 maio 2010

Ar puro*

Gravei em ti o nome.
Não sei quantos anos passaram. Muitos.
Nem sei, ao certo, o que escrevi,
se o nome próprio sem apelido,
se vice-versa, ambas, sei lá.
Em tua casca,
provavelmente,
uma caligrafia perdida.
Mudei de letra quantas vezes mudei de vida.
Mudei-me à imagem de outros até descobrir que,
amor de mim,
não tinha.
Só depois desse me amou alguém.
E eu... também.
Um amor que me adiou a velhice,
feito de gargalhadas e arrepios,
calores e frios nos olhos
e decisões aos molhos
que me pareceram promissoras,
na hora.
Não agora.
Que me resta um arrepio na memória do tacto.
Este estar triste inacto que,
só então,
é esboço de sorriso.
Cheiro de hálitos quentes,
som de gemidos clementes de "não pares" e "pára".
E todos os dias,
num outro leito.
Adormeço com o quente aroma do teu cabelo.
E acordo na certeza que o meu destino é vê-lo.
Um dia......
em desalinho no meu peito.
Enquanto não,
procuro-te a ti.
No início,
sem sucesso.
Marco o trajecto para o regresso.
Densa floresta, jardim.
NÃO!
E lá estás.
Envelheces-te.
Mas continuas bela.
Abraço-te.
Mas já não te abarco.
Guardo na roupa esta mancha de resina que me deste.
E leio-me fundo no teu tronco agreste.
E decido que é a ti que amo.
A mais ninguém.


Texto: Nuno Miguel Dias

*nos meus pulmões.
Depois de um dia (no meio das árvores) a respirar natureza

Ando a ver se lhe vou falar... se esse dia chegar

25 maio 2010

Verbo Analisar


Agora que me cruzei contigo, não sei se te puxo, se te prendo ou se te deixo ir. Não sei se me queres prender, já que já me puxaste. Também não sei se me queres deixar ir, ou se me vais mandar embora, assim, do nada que pode ser tudo, a quente e a frio. Não sei se estás a gostar do imprevisto ou, talvez, daquilo que estava previsto, sem ambos sabermos, como se do destino se tratasse. Não sei se, tal como eu, estás a gostar do risco, da novidade... da estranheza que se está a entranhar em nós. Mas é bom. Está a ser bom cada minuto longe e cada minuto perto. Estão a ser boas as novas manhãs, as novas tardes e as novas noites desta (nossa) (nova) vida... será a mesma vida?! não! é outra vida. É outra forma de viver. É outro ar que ambos respiramos. É outro objectivo e outro horizonte. É um horizonte teu e outro horizonte meu. Mas ambos podem cruzar-se, se assim quisermos... e se gostares tanto de acordar sozinho, como eu gosto. Ao mesmo tempo, se gostares tanto de acordar ao pé de mim, como eu gosto de acordar ao pé de ti. Aqui e ali.

E agora que me cruzei contigo, pode ser cedo ainda, mas é também a hora de fazer a análise. Porque entre nós, acho, que bastava um simples olhar, uma simples palavra ou um simples toque, para que fosse precisa e necessária uma análise. E uma nova conclusão, seja ela boa ou má. Acima de tudo, verdadeira!

Olá, vizinho!


No meu prédio há um correio da manhã, uma porteira borda d´água, curandeira, boleira, abelhuda, choramingas (porque eu nunca lhe dei a chave de casa, para os senhores cá virem ler os contadores da água) e que me pede para lhe tocar à campainha três vezes, sempre que regressar de viagem... e nunca sair sem lhe dizer, "para ficar de olho na sua casa", diz. Mas eu esqueço-me sempre de avisar... e de tocar à campainha no regresso, embora ela faça (sempre) questão de me "avisar" quando se vai ausentar, "para o caso de precisar de alguma coisa". No meu prédio moram estudantes universitários, desempregados e reformados. Há brancos e negros, só não sei se são de Angola, Moçambique, Guiné ou de Cabo Verde. Ao meu lado, no frente e no direito, moram dois casais com a nacionalidade brasileira em comum. Um deles todos os dias chama "ámooohh" à mulher, no final do banho (as coisas que eu ouço), e passam os sábados e domingos a ouvir forró; os outros, têm um filho de três anos, coisa mai linda, que me chama txitxia e a quem eu ofereço chocolates. no meu prédio não mora aquele vizinho giraço, solteiro ou divorciado, que mora sozinho ou só com o cão, e que deixa as escadas e o elevador perfumado, pela manhã, quando sai para trabalhar... mas isto também não importa nada! O meu prédio tem uma moradora da minha idade, que já cá não mora! mas que quando cá morava, adorava atirar frigideiras pela janela, em noites de folia, e falar com o mundo através da janela da minha cozinha ou de quando em vez, mandar botas, sapatos e a mesa da cozinha pelo elevador. No meu prédio, há vizinhos que não se conhecem, uma senhora que não abre a porta sem lhe dizermos "a palavra-passe" e outra senhora que nos alerta via sms quando nos esquecemos de pagar o condomínio. No meu prédio há novos e velhos, altos e magros, bonitos e feio. E há boas pessoas, que também devem ser más, quando lhes apetece, mas que até hoje (deve ser por estar cá há pouco tempo) ainda não tive o azar, ou a sorte, de descobrir. Enfim, tudo bons vizinhos!

Ao cuidado das Alminhas Comichosas

Ssoas, é assim:
Tenho chão para aspirar, pó para limpar, wc para lavar, roupa para lavar, estender, apanhar e passar a ferro, mais outra roupa que anda ali desde a semana passada, para passar (pois é, tenho muita, posso dar-me a esse luxo... ah, já agora aproveito para vos dizer que este fim-de-semana comprei umas (mais umas) sabrinas e umas (mais umas) sandálias. Continuando: tenho espelhos para pendurar e um papel de parede lindérrimos para colar numa das paredes da minha sala (mas isso eu e a minha Tia A (uma verdadeira amiga!), fazemos. Não vos vou dar o luxo de virem conhecer o verdadeiro Reino da Alegria). Tenho um closet (gostavam, não gostavam?!) para arrumar, é que isto do S. Pedro não se decidir em relação ao tempo, tem muito que se lhe diga... principalmente às pessoas que, como eu, têm muita roupa, muitos sapatos e muitas malas (o suficiente para encher um T2 onde mora SÓ UMA pessoa, eu!... não é que, uma vez ou outra, não venha cá alguém pernoitar... vá, já têm aqui informação, abusem dela!). Tenho também ali um caixote cheio de livros (que alguém do passado - que se fez presente-, fez questão de mo vir trazer - bendito dia), livros esses que precisam de ser arrumados na estante da sala. Mas, atenção: eu sou muito esquisita e os meus livros são arrumados por ordem alfabética.

Tenho também contas para pagar, uma delas em atraso. Sim, percebi hoje, ao chegar À MINHA casa, que me esqueci de pagar a TV Cabo no mês passado. Tenho também um carro (ainda é o mesmo, mas em breve vai deixar de ser) a precisar de ser aspirado e lavado, com direito a cera e secagem, ou secagem e cera. É que não estou habituada a estas coisas, portanto não sei a ordem. Tenho também a manutenção das unhas de gel para fazer. Estava a espera de receber, mas se quiserem adiantar....

Uma coisa deveras importante: o Mini Preço ao pé da minha casa, costuma ser frequentado por senhoras velhinhas, algumas delas em estado debilitado, que me dão vontade de chorar só de olhar para elas. Sabem o que eu costumo fazer? Pois bem, desce sobre mim a luz da caridade e toca de ajudar as senhoras. Levo-lhes as compras para a caixa, ensaco as compras delas e, por vezes, chego a ir a casa delas, levar-lhes os sacos, por estes estarem demasiado pesados.

Pois então, caríssimas almas, já repararam como há coisas bem mais interessantes para fazer, do que andar aqui NO MEU BLOG a chafurdar A MINHA, E SÓ MINHA VIDA, a ler aquilo que eu escrevo e, pior do que tudo, a fazerem más interpretações daquilo que lêem?! É que os telefonemas que fazem a terceiros, depois de passarem por aqui, são demasiado obvios, e não se desculpam com meros convites para jantar... até porque as pessoas têm vida e já têm um sítio para ir jantar... Aaahhhh e agora?! Pois é, por esta não esperavam, ne?!?!
Há pessoas que têm vida, vida boa e boa vida. E têm estas três coisas, porque fazem por isso e porque merecem ter isso. Há pessoas que conseguem ultrapassar as barreiras com a cabeça erguida. Há pessoas felizes e de bem com a vida. Porque, acima de tudo, são pessoas bem resolvidas. Há pessoas que têm vida e uma vida tão boa e tão preenchida, que mesmo até nos dias em que essa vida está mais vazia, essas pessoas são felizes. É o meu caso, alminhas!
Façam como eu, quando não tiverem nada para fazer, deitem-se a dormir! É que já me bastam as horas de sono que o trabalho me rouba, mas que mesmo assim, eu deixo roubar, sem problema nenhum. É que de todas as vezes que me queixo do meu trabalho, queixo-me de peito cheio. É que até nisto eu tive sorte, alminhas. Até um trabalho que me preenche e me realiza eu consegui ter!

E agora, para vos provar, mais uma vez (embora saiba que não tenho nada para vos provar), que não sou igual a vocês, alminhas, mando-vos para as Maldivas, para Paris, para Londes, para a Jamaica, para os Açores, para a Madeira... e até vos mando para o Algarve, para o Porto... e para Coimbra. Mando-vos para estes e todos os outros sítios onde eu já tive o privilégio de estar. Quando na verdade, se calhar, deveria era descer em mim a luz da brejeirice e mandar-vos à merda. Mas se assim fosse, estaria a ser como vocês. E eu sou melhor... muito melhor!

Como diz uma grande amiga minha: se não me acompanham, não me atrasem. E agora, voltem para a vossa vidinha, que deve ser infeliz. Caso contrário não ocupavam o vosso tempo a fazer más interpretações da vida dos outros.
É sempre um prazer ter os vossos olhos postos no Reino. Mas, sinceramente, preferia não vos ter por cá. É que eu leio blogs (de pessoas que conheço e de pessoas que não conheço), mas não vou aos blogs dessas pessoas, com o intuito de saber da vida delas... muito menos fico em altas quando leio coisas escritas acerca da vida de terceiros.

Um beijinho do fundo do coração,
a vossa princesa M.

Já nada me espanta

Eram o casal mais apaixonado que eu alguma vez conheci. Um dos mais divertidos que eu alguma vez conheci. Passaram coisas juntos que parecidas só nos filmes. A despedida de solteiro deles, que fizeram em conjunto, foi a melhor despedida de solteira(o) onde já estive (muito melhor do que a minha, digo!). Foi um dos casamentos mais divertidos onde já estive. Foram o casal que acompanhou de perto o percurso do início do meu namoro até ao dia do meu casamento... e da minha separação. Foram eles que ajudaram na surpresa do meu pedido de casamento. Foi dela que partiram as trinta mil ideias para a minha despedidas de solteira e foi ela que preparou tudo, em conjunto com as minhas amigas, que ela nem conhecia. Foram um dos casais mais divertidos do meu casamento. Na hora de atirar o meu bouquet, ela foi uma das que eu chamei para atirar as flores comigo. Sendo uma das casadas, toca a ajudar-me. Tudo e só porque a malta quer é festarola e ver as amigas casar. Mas tudo aquilo que nós não queremos, é ver as amigas separarem-se. Depois de uma década, depois de um namoro à distância, depois de provas superadas, de barreiras saltadas, de alegrias e tristezas vividas em comum, de uma vida feliz, ou aparentemente feliz (digo agora), no melhor pano cai a nódoa... este fim-de-semana soube que eles se vão separar.

Pela boca morre o peixe


É o provérbio preferido da minha mãe e agora percebo porquê... é que também começa a ser a minha frase preferida!

Tiro no pé


Se já dei, não me apercebi. Não doeu e não ouvi o barulho do disparo. Ou então, ainda vou dar... ou estou prestes a dar. O melhor, ou o pior desta situação, é que serei sempre eu a disparar o gatilho...

23 maio 2010

Nãããoooooo!!!!!!!!!!!!!!!

O Jorge Jesus não ganhou o Globo?????!!!!!!!!

E o globo vai para...

Para a gravata do Manzarra. Já ganhou! tum tum tum

E um bocadinho de modéstia, não?!

"Vou ganhar outra vez! (o prémio de melhor treinador) Sinto que vou ganhar outra vez!... Um grande 2010 para mim."

Ah, ele não precisa disso. Afinal é o José Mourinho.

Ganda cromo...

de caderneta.
"Os outros enganam-me bué facilmente"

22 maio 2010

Sem camuflagem


Sei bem, muito bem, aquilo que não quero. Mas continuo sem perceber e sem saber aquilo que realmente eu quero.

Shakira, Shakira

Querida, achei-te um bocadito sem ritmo e, sinceramente, já te vi com melhores movimentos de anca. Nem sei o que te diga, pah. Houve momentos em que gostei muito de ti, mas também os houve em que me deu para bocejar. É cansaço...
Quanto à tua roupita, underneath your clothes, babe! Está bem que os meus amigos gostaram muito de te ver com essas leggins pretas coladas às pernocas e ao rabiosque... mas querida, estás tão gira e tão fofa, bem que podias ter apostado noutros modelos. Por um mundo melhor, não é a causa?! E o "fato" de loba?! Deixa lá! Olha, sabes, adorei o teu portanhol, nesta que foi uma "noitê márávilhosa e inomínável" És uma kiduxa! Também estás no nosso "córéção". Volta sempre, tá?!

21 maio 2010

Estou quase a fazer anos... #3


Hoje é sexta-feira


E mais uma vez, é só para alguns!

20 maio 2010

Isto existe mesmo?


Estou quase a fazer anos... #2


Há coisas tão difíceis de aceitar...








... Sagres, oh Sagres...

Eu também vou


Robertxinha, você não vai, né! Puxa, minina... qui azah, né! Vá, muita calma nessa hora. Si ponha boa num inxtantxinho e voltxi cheia de cárisma. Amo você! Sou sua fã!

Passear de chinelinho, num final de tarde...


E terminar o passeio numa esplanada, com amigas, caipirinhas, morangoskas, petiscos... gargalhadas e muita, muita, muita alegria!!

Estes sapatinhos dão-me cenas


Estou quase a fazer anos...


19 maio 2010

18 maio 2010

Huumm... eu não ando com mau feitio, pois não?!


É que anda meio mundo a querer que eu arranje um namorado e outro meio a sugerir-me possiveis namorados. boring

Posso ir à praia? Posso?!


Se a memória não me falha, há três semanas, no fim-de-semana, trabalhei! Se bem me lembro, há quinze dias, estava frio e a chover no Algarve, e eu estava lá... a trabalhar! No último fim-de-semana, por pouco não corri da porta do BBC para a meta da Corrida da Mulher, para onde fui trabalhar. Eram 10 da manhã e já lá estava eu, à beira-rio plantada, fresca e fofa, como se tivesse dormido oito horas. Dali, foi lá do alto, dos céus de Cascais, que vi quem teve a sorte de ir à praia, na tarde de Domingo. E ontem, que dia lindo e maravilhoso esteve ontem. E hoje também deve estar. Pelo menos, aqui da minha janela, parece-me que está. Ai, vai continuar assim toda a semana?! No fim-de-semana também?! Pois... que bom! Bom para quem puder aproveitar. Mas alguém também vai ter de trabalhar (pelo não sei quantagésimo fim-de-semana seguido). Alguém que me mande para a praia, sff!