03 setembro 2009

Não seria mesmo a mesma coisa?

Eu podia viver sem trabalhar até às seis da manhã.
Eu podia passar na operação stop da Av. de Ceuta sem explicar tim tim por tim tim ao polícia o meu trabalho e o facto de não ter ingerido alcool toda a noite.
Eu podia não ter perdido o controlo do carro (que só por acaso era da empresa) numa curva.
Podia não ter sentido a traseira a fugir e a frente a ir direitinha ao separador de cimento.
Podia não estar a chover naquele momento.
Eu podia ter travado, em vez de pensar "não traves, deixa-te ir! Se bater, bateu!"
O carro podia ter batido.
Eu podia não ter mudado a estação do rádio e do outro lado podia não estar a passar a música que me fez ir ainda mais devagar.
Podia, naquele momento, não me ter lembrado que me disseste que tinhas chorado.
Eu podia viver sem chegar a casa às seis da manhã, meter a chave na fechadura e ela não rodar nem para a esquerda nem para a direita.
Eu podia não ter uma amiga, que não ouviu trezentas mil chamadas.
Eu podia ter tocado à campainha.
Eu podia não me estar a lixar pro facto da porta não abrir e da minha amiga não ouvir o telemóvel.
Eu podia ter almoçado e jantado e, assim, depois daquilo tudo, podia não ter ido comer um pão com chouriço, sozinha, à 24 de Julho.
Eu podia, depois de ter entrado em casa, não ter ninguém à minha espera e com paciência para ouvir "as coisas" da noite.
Eu podia não me rir aquela hora.
Podia não ter dormido uma hora e pouco.
Podia não ter sonhado contigo.
Podia ter acordado com mau feitio.
Podia ter cantado o la la la no banho.
Podia não ter despido o vestido que me ofereceste.
Podia conseguir vestir o vestido.
Eu podia estar aqui mal com a minha vida.
Eu podia não ter vivido tudo e mais alguma coisa que tenho vivido ultimamente.
Eu podia estar ainda pior.
Podia ser amarga, fria e insatisfeita.
Podia até ser doente.
Eu podia ter e ser tudo aquilo que me apetecia.
Eu podia satisfazer os meus caprichos sempre que quisesse.
Eu podia querer ir agora ao Polo Norte. E se quisesse ir, ia mesmo.
Podia não ter ido à Jamaica porque até tinha razões para não ir.
Eu podia não ter sido feliz na Jamaica.
Eu podia tudo isto e muito mais.
Eu podia ter tudo aquilo que eu quisesse.
Eu podia tudo e tudo e tudo.
Eu podia não sentir saudades.
Podia mesmo, mas nunca seria a mesma coisa!!!!

3 comentários:

Sunrise disse...

So para perceber aqui uma coisinha? Tiveste um acidente de carro???? Tás bem? Bjs

Mais um Lugar de Mim disse...

Pois não, porque certamente não seria tão vivido.

Pips disse...

Eu podia ter deixado o telemovel com som e ter aberto logo a porta na primeira chamada.... mas depois o teu post acabava logo na frase seguinte! Nunca seria a mesma coisa. E mais: vais ter sempre alguém para ouvir "as coisas" a.k.a "lamúrios dos bons", seja a que hora for..e rir..muito! Sempre.